Coronavírus: brasileiro, ex-morador da cidade, relata situação direto da França

Morando em La Rochelle, sudoeste da França, Anderson Bonifacio Neves, ex-morador de Búzios, relata sobre a pandemia e faz um comparativo com o Brasil.

Anderson morou em Búzios e foi para a França ficar mais próximo de seu filho, e em relato exclusivo explica a situação local.

“Aqui na cidade os casos estão estáveis. La Rochelle é bem menor que Paris, na capital as coisas estão mais complicadas. Aqui, os moradores estão respeitando as medidas apontadas pelo governo”, disse.

Anúncios

O governo tem usado todas as formas de comunicação para passar informações importantes e recomendação para a população, principalmente por via televisiva. Existe também uma multa de 400 Euros para quem estiver na rua sem motivo importante.

“Eu mesmo saio uma vez por semana, vou ao mercado. Existe controle até para entrar no mercado, uma equipe dá luvas para a gente usar e todos respeitam a distância de 1m. Fazemos as compras, mas sem a necessidade de fazer grandes estoques, até para não deixar outras pessoas sem nada”.

Anderson relata que serviços essenciais continuam em funcionamento, como bombeiros, polícia, entre outros. A escola do filho, que é pública, está funcionando de forma virtual. Os estudantes recebem a lição via e-mail e tem até videoconferência entre professores e alunos.

Para o lazer, as praias estão fechadas, no entanto, é possível fazer exercício em locais públicos em um raio de até 2 km da residência. Com o filho, faz atividades em casa: “parece filme, mas é realidade e não pode brincar com isso”.

Anúncios

Governo Francês x Governo Brasileiro

“A França tem um serviço público bom, mesmo com (Emmanuel) Macron cortando gastos para Saúde, num governo neoliberal onde as finanças estão em primeiro lugar, ainda é bem diferente do Brasil. (Jair) Bolsonaro parece um psicopata, quando a gente vê um presidente que não dá o exemplo é preocupante. No começo pode ter errado, mas agora é hora de falar sério, pessoas estão morrendo. Não é uma gripezinha. Na Itália, estão tendo que escolher quem morre, enquanto Bolsonaro parece ser o único chefe de Estado que não está se importando”, lamenta Anderson. Vale lembrar que o governo brasileiro fez cortes na Saúde e também aprovou o teto de gastos com Saúde e Educação para os próximos 20 anos.

A China está dando apoio para alguns países europeus, inclusive para a França. Para o Brasil tal ajuda pode não ser possível, justamente pela falta de diplomacia brasileira que recentemente acusou e chegou a ofender o governo Chinês, tanto o deputado e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, quanto o ministro de relações exteriores Ernesto Araújo. Vale lembrar que a China é o principal parceiro comercial, principal comprador do Brasil.   

Economia e família no Brasil

O governo francês irá isentar a população de contas como aluguel, energia, água e gás, utilizando um artifício simples com isenção de impostos de empresas.  

“Acredito que a gente saia dessa, o mundo todo, mas acho que ainda terão muitos mortos. Me preocupo com o Brasil, minha família e amigos. O epicentro do vírus está na Europa, espero que não chegue forte no Brasil. E quanto a economia, o Capitalismo vai acabar, não e possível, países capitalistas não investem na saúde e educação como deveriam”, finaliza Andrson, lembrando que companheiros de trabalho foram infectados e é muito importante que todos sigam as orientações dos órgãos de Saúde. A França contabilizou mais de 15 mil casos até 22/03.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s